Páginas

segunda-feira, 21 de maio de 2018

AÇORES_Reportagem Senhor Santo Cristo dos Milagres 2018


Foi um enorme prazer juntar-me novamente ao Grupo de UrbanSketchers Açores, para participar na reportagem das Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres que Alexandra Baptista idealizou e organizou de uma forma admirável, conseguindo acesso a locais privilegiados para desenharmos, cobrindo todos os momentos das festividades com um grupo entusiasmado distribuído segundo o seu planeamento meticuloso. 
Apesar dos laços familiares que me ligam a São Miguel, foi a primeira vez que assisti a estas Festas tão religiosas quanto profanas onde a solenidade se mistura com a feira e o incenso com o algodão doce. É verdadeiramente uma festa de todos e gostei muito de me sentir parte dela. 
À Alexandra e família todo o meu carinho e gratidão.

4 Maio
Depois de termos chegado, pouco tempo tivemos para jantar e ir a correr assistir ao acender das luzes  da fachada do Santuário do Senhor Santo dos Milagres e do Campo de São Francisco. Este foi o primeiro desenho que fiz ao som da Banda Triunfo junto do coreto, no meio da multidão entusiasmada e em conjunto com os outros urbansketchers onde também estava a Helena Monteiro. Um deslumbramento.



5 Maio
Cheguei ao Campo de São Francisco no final da manhã depois das promessas  e já tinha começado a preparação dos tapetes de flores por onde o Cortejo da Mudança da Imagem do SSCM iria passar. Tentei perceber como se faziam os tapetes falando com as senhoras que separavam as pétalas para os motivos decorativos centrais dos tapetes.


A seguir eu e a Alexandra fomos para a Porta Regral, local de acesso restrito onde foi possível estarmos a desenhar graças à permissão do Sr. Cónego Adriano Borges. Fiquei tão deslumbrada e surpreendida pela forma como a parede estava coberta com criptomérias, como a porta estava ornamentada com flores e o chão em frente à Porta estava coberto por um tapete de pétalas de rosa lindíssimo, que eliminei as pessoas do desenho. Percebi depois, que só com elas o todo fazia sentido. 
O ambiente era de expectativa solene. 


Esta foto foi-nos tirada por uma prima que inesperadamente encontrei .

Segundo o ritual das Festas, o Provedor da Irmandade bate à Porta Regral e quando as portas se abrem, ao som do Te Deum cantado pelo Conservatório Regional de Ponta Delgada, a imagem do SSCM aparece no meio de um mar de vestes brancas do clero onde o vermelho e dourado se destacavam. Desenhei rapidamente o que a emoção via. Deu-me que pensar.


Depois, mais uma vez a correr, a Alexandra e eu, fomos para a Santa Casa da Misericórdia onde consegui ainda registar a paragem que fazem com a imagem em frente dos doentes. Depois, sentada nas escadarias a conversar com o Sotero Drumond Silva, fui colocando cor.


Antes do jantar ainda fui com o grande companheiro António Cabral, desenhar uma montra de uma frutaria que me tinha chamado a atenção pela decoração e pelo lindo registo do SSCM.



6 Maio
Antes da Procissão as ruas ficaram lindíssimas com tapetes feitos de flores e aparas de madeira tingidas, segundo a vontade de cada morador. Também as varandas se encheram de flores e nas janelas colocaram-se colchas. O ambiente era de grande azáfama. Este é um dia também de convívio em família. 
Segui  o processo da  moradora da Rua do Perú 24, Marina, que me disse que todos os anos sonha com este dia e leva o restante ano a imaginar o desenho que irá fazer. Com a ajuda da filha Loide e da vizinha Sónia, que vive no Canadá e vem de propósito nesta altura, e outros vizinhos, o tapete vai sendo feito, fotografado e muito apreciado por quem passa. 
Prometi enviar o desenho e fotos que tirámos.


  

De tarde, com uma vista maravilhosa da varanda Santa Casa da Misericórdia, que o Sr. Provedor e a Dra. Raquel Silva gentilmente disponibilizaram, assisti à Procissão. 
Desenhámos e partilhámos conversas e o desenho foi surgindo, sem pressas, ao ritmo da Procissão. 


7 Maio
Antes de ir para o aeroporto desenhei o táxi do Sr. Jorge Gaudêncio que abre o desfile de Homenagem da Polícia de Segurança Pública, dos Bombeiros Voluntários, dos táxis da Associação dos Táxis de S. Miguel e Santa Maria e dos Motociclistas de S. Miguel. 
Explicou que decorava o táxi desta forma há doze anos, cumprindo uma promessa que fez pela saúde da mãe.



Já no avião, a fazer o balanço destes dias e a sentir-me feliz por ter podido participar na reportagem das Festas, desenhei o cartão que a Alexandra nos entregou quando chegámos e que guardo com orgulho. 
Obrigada Alexandra e restantes Urbansketchers Açores.



8 comentários:

  1. Que orgulho Celeste, está LINDA a reportagem e o passe está uma delícia. Obrigada por tudo, tudo.
    Abraçoooos.

    ResponderEliminar
  2. Os USkP Açores enriqueceram-se com esta partilha. A reportagem está excelente, como sempre. Volta sempre Celeste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Volto, volto, porque somos SEMPRE muito bem acolhidos pelos USkPAçores.

      Eliminar
  3. Celeste, que delícia de relato e registos!! Soubeste mesmo estar à altura duma rara ocasião e aproveitaste-a ao máximo! Parabéns!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada Luís! Fico mesmo contente pelas tuas palavras :)

      Eliminar